terça-feira, 3 de novembro de 2009

Analisando Casa Pré-fabricada



Abre os teus armários eu estou a te esperar
Para ver deitar o sol sobre os teus braços castos
Cobre a culpa vã ... até amanhã eu vou ficar
E fazer do teu sorriso um abrigo.

Canta que é no canto que eu vou chegar
Canta o teu encanto que é pra me encantar
Canta para mim, qualquer coisa assim sobre você
Que explique a minha paz, tristeza nunca mais

Mais vale o meu pranto que esse canto em solidão
Nesta espera o mundo gira em linhas tortas
Abre essa janela, primavera quer entrar
Pra fazer da nossa voz uma só nota.

Canto que é de canto que eu vou chegar
Canto e toco um tanto que é pra te encantar
Canto para mim qualquer coisa assim sobre você
Que explique a minha paz. Tristeza nunca mais.

Para mim a melhor música de Camelo, essa música passa a paz que se senti quando se esta apaixonado. Marcelo Camelo consegue passar esse sentimento de paixão, de uma forma sublime, um sentimento que ele tenta passar através de metáforas.
Ouvindo Casa Pré-Fabricada, penso como alguém que, por esta apaixonado, idealiza o seu romance. Um rapaz coberto por uma paixão indescritível, essa paixão foi provavelmente foi se formando aos poucos, ate chegar um ponto, que passa a ser maior que ele. Como diria Luís Camões(Amor é fogo que arde sem se ver, é ferida que dói e não se senti, é um contentamento descontente, é a dor que desatina sem doer.”, faço das palavras de Camões as minhas para descrever o sentimento passado na música.
Iniciando enfim a leitura da música, a casa seria como uma vida, e o pré-fabricado, como um planejamento dessa vida, logo, uma vida planejada. Vida essa que foi planejada por um rapaz apaixonado por uma mulher. Esse rapaz pede para a mulher a qual ele ama, para abrir seu coração e passar a vê-lo de outra forma, pois ele esta ali a espera de uma reciprocidade dela, para os dois ficarem juntos.
A moça cujo ele esta apaixonado é uma mulher pura, inocente. Com isso, ele tenta fazer com que tudo fique da maneira mais confortável para ela. Ele pede para ela, não sentir nenhum tipo de culpa ou receio por pensar nele, pois isso é algo natural, e não a porque sentir medo de iniciar uma nova relação com ele.
O rapaz pede a mulher, de uma forma mais pura possível, que ela demonstre uma reciprocidade do sentimento.
Ele já se encontra completamente encantado por ela, e procura algo nela, que possa tenta explicar o tanto de excedente de paz que habita seu coração
Após ver que toda a espera por ter receio de se declarar, só fez mal a ele, o rapaz, como se tivesse aprendido a lição, exalta que prefere sofrer por ter sido rejeitado, do que simplesmente ficar sozinho por medo de tentar. Essa falta de coragem, que o impediu de tentar por muito tempo, impedi-o também de viver sua vida de forma normal, fazendo com que ele não conseguisse ajustar nada no seu cotidiano
O rapaz ao longo da música reforça o pedido para que a moça abra seu coração para ele, e a veja de outra forma. Essa suplica vem trazida de um enorme desejo dele, de fazer deles dois juntos, uma só alma, como se para ele, ela fosse algo que a completasse(falando em metáforas “a metade da laranja”).
Completamente apaixonado, o homem se diz fazer de tudo para se exibir de uma forma positiva para ela(ele simplesmente não só se declara para ela, mas também tenta mostra suas qualidades , como forma de tentar conquista-la).
Como forma de demonstrar seu sentimento, o homem procura algo que lhe explique de forma racional(se é que existe), o porque dele sentira paz que ele senti. Para finalizar, ele diz que toda a tristeza e depressão que sentia antes, nunca mais sentirá.
Analisar essa música foi uma grande superação para mim. Primeiro porque a forma de escrever de Rodrigo Amarante e de Marcelo Camelo são distintas, enquanto Amarante escreve de uma forma mais linear, seguindo uma “história”, Camelo se preocupa mais em passar o que senti, mostrando seus sentimento através de metáforas e com isso a linearidade de algumas músicas acabam ficando ofuscadas pelo excesso de sentimento colocado nas letras.
Segundo pelo tamanho da letra, que é bem extensa e meu tempo para fazer essa análise ser mais curto, em decorrência da faculdade.
Terceiro por não ser qualquer música, mas sim, uma das grandes composições dele que fez ele ser quem ele é hoje
Essa música da condições de se escrever muito mais do eu escrevi, fazendo uma análise mais profunda dela, da para discorrer muito mais, mas ficaria muito extenso e cansativo o texto. Então em outra oportunidade, eu voltarei a escrever sobre essa música.

5 comentários:

  1. Cara, confirma pra mim a história da música "Conversa de Botas Batidas"
    Abraço

    Marcos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pelo que soube, Conversa de Botas Batidas é sobre um casal casado (de amantes havia anos, ele era casado e ela era casada também e os dois traiam seus respectivos cônjuges). Eles se encontravam em um hotel que seria demulido e, ao invés de fugirem para salvar suas vidas, decidiram ficar, ignorando o funcionário que batia na porta "deixa o moço bater que eu cansei dá nossa fuga" e achavam que assim se encontrariam em outro plano "Esse é so o começo do fim da nossa vida
      Deixa chegar o sonho
      Prepara uma avenida
      Que a gente vai passar"

      Excluir
  2. A minha análise da música vai de encontro a um entendimento mais literal das palavras que indicam os elementos de uma construção (janela, armário, sol batendo nos braços castos (seria alguma parte da nova casa que ainda estaria intocada?!?) e por fim e o mais sensacional é que a música é toda cantada por um rádio (cd player, som) que espera o dono, que é passível de ajuda afeto/psicológica que a música passa adentrando os cantos da casa, fazendo da voz dos dois uma só nota, ficando fielmente até amanhã etc;;;

    ResponderExcluir
  3. Super me identifico com esta música. Mas a vejo como se descrevesse um relacionamento homoafetivo. "Abre os teus armários", "cobre a culpa vã"... enfim rsrs

    ResponderExcluir
  4. Pra mim casa é o interlocutor da música e pré montada, seria a situação que ele se encontra, só espera a reciprocidade para então se fixar como uma casa,no caso ele se encontra completamente apaixonado, ele usa do título para apresentar metáforas como "abra essa janela" que no caso seria o coração da moça e "primavera" o amor que deseja entrar.

    ResponderExcluir